quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Homeopatia e Febre amarela
Artigo da farmacêutica Amarylis Cesar

A febre amarela é uma infecção viral grave, transmitida por mosquitos em regiões tropicais. Tem tanto um ciclo urbano e um ciclo da selva que se baseia em macacos como porta-Aviões ('ciclo selvática'). Em casos leves de febre amarela os sintomas são semelhantes à gripe, mas casos graves desenvolvem uma temperatura elevada e podem ter uma série de efeitos após os efeitos , como hemorragia interna, insuficiência renal e meningite. Uma característica clássica da febre amarela é a hepatite, que é a razão para a coloração amarela da pele (icterícia) e o nome da doença.
Na doença de febre amarela total, existe: febre alta, sintomas generalizados como dor de cabeça violenta, dor muscular, estômago perturbado e perda de fluido.
A febre morre após três a quatro dias e a condição geral melhora. No entanto, em cerca de 15 % dos casos, a febre regressa dentro de 24 horas e se desenvolve uma situação perigosa.
Tratamento da homeopatia para febre amarela
Os seguintes remédios da homeopatia abrangem vários sintomas de febre amarela e podem ser úteis quando os sintomas coincidem.
Acónito. (acon)
Quase todas as autoridades elogiam este remédio na fase inicial da febre amarela onde há febre alta, chilliness e pele seca, o pulso envolvente e os acompanhamentos mentais característicos que estão muito provavelmente presentes nesta doença. Vai acalmar rapidamente a tempestade febril nestas condições.
O que é isso?
É um remédio para o início quando o paciente é apático e chato, e belladonna ou bryonia também podem entrar durante a primeira fase. Muitas vezes, também, camphora com a sua frieza e tendência para o colapso pode ser o remédio. Os vómitos da primeira fase são frequentemente controlados por ipecacuanha.
#Arsénico. O que é isso?
Este remédio vem mais frequentemente na segunda e terceira fases, e é um dos remédios mais importantes da doença. O paciente tem continuado náuseas e vómitos, e a matéria vomitou consiste de bílis ou mucosities cheia de estrias pretas ou sanguinolent; a face é amarela e o pulso é pequeno, fraco e trêmula. Há muito ardor na região de praecordial e intensa sede ardente, mas, claro, para pequenas quantidades de água apenas. Nenhum remédio melhor para estes sintomas é encontrado do que arsénico. É sempre suficiente para curar.
#Lachesis. (Lach)
Este remédio deu resultados muito satisfatórios na febre amarela, especialmente quando o vómito está presente, sensibilidade abdominal, língua castanha, delírio, discurso lento, náuseas, descargas ofensivas e urina negra. Corresponde ao envenenamento por nervos e combina casos de má aparência.
#Sulphuric acid [Sul-ac]
É um remédio útil para hemorragias de sangue negro, suor profusa com exaustão, fezes odor e secreção diminuída de urina.
#Argentum nitricum [Arg-n]
É também um dos melhores remédios da doença. Cobre os vómitos, especialmente quando o paciente afunda e os vómitos se tornam piores.
[Fósforo]
Fósforo com as suas hemorragias; icterícia e outros sintomas são uma comparação estreita com certas formas; foi usada com sucesso numa epidemia ocorrida no Rio de Janeiro.
#Cascavel. O que é isso?
Este remédio produz uma imagem perfeita de febre amarela, e corresponde ao palco de vômito preto e envenenamento por sangue - há um baixo delírio, pele amarela e sangramento de sangue de cada orifício do corpo, até mesmo suor sangrento está por vezes presente. A pele amarela produzida por este remédio é característica, e denota envenenamento por sangue em vez de icterícia. O sulfato de cádmio também tem os sintomas de vómito preto e o seu estudo na doença é sugerido.
#Carbo vegetabilis. [Hidratos de carbono]
Este remédio foi considerado como uma prevenção da febre amarela. A Hering diz que este remédio mais do que qualquer outra droga corresponde na totalidade da sua acção à febre amarela. Convém à terceira fase em que o colapso, o frio, a descarga extremamente odor e o grande esgotamento das forças vitais estão presentes.

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Babosa no tratamento das queimaduras leves

 Como utilizar a Babosa no tratamento de queimaduras leves 

Ingredientes:
• 2 folhas de Aloe Vera (babosa)

Modo de preparo
Corte 2 folhas de Aloe Vera ao meio e, com a ajuda de uma colher, extraia todo o gel de dentro da folha para um recipiente. Umedeça uma toalha limpa com o gel e passe nas queimaduras 3 vezes ao dia.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Homeopatia no tratamento da dengue

Homeopatia no tratamento da dengue

Remédio criado por médico brasileiro promete atenuar quadro da doença e já é utilizado em diversas cidades do país

A dengue voltou com força. Só no primeiro trimestre deste ano, mais de 460 mil casos da doença foram registrados no Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde. O aumento é de 240% em relação ao mesmo período de 2014, quando foram registrados 135,3 mil casos da doença. Houve também aumento no número de mortes, que passou de 102 para 132. Há quem diga, porém, que o óbito decorrente da dengue seja “imoral”. É a opinião do médico homeopata e professor da Faculdade de Medicina de Rio Preto, Renan Marino, criador da fórmula do único medicamento para dengue aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).
Há quase uma década, diferentes estados brasileiros desenvolvem experiências bem-sucedidas na prevenção e tratamento da dengue com o remédio desenvolvido por Marino. “Não se trata de uma vacina, mas um medicamento homeopático que tem a função de atenuar o quadro da doença”, esclarece o médico, que apresentou a fórmula pela primeira vez em um trabalho de mestrado em 2003.
O medicamento é composto de três componentes: eupatório (Eupatorium perfolatium), planta medicinal com ação analgésica que age nas dores no corpo típicas da dengue; fósforo, mineral que protege as funções hepáticas normalmente comprometidas pelo vírus, além de reduzir náuseas e vômitos; e um preparado do veneno de uma espécie de cascavel (Crotalus horridus), que tem forte ação anti-hemorrágica.
A patente do remédio foi cedida por Marino a um laboratório farmacêutico, que o comercializa com o nome de Proden. Marino conta que esta é a primeira e única medicação já aprovada pela Anvisa para o tratamento da dengue. “Tivemos a aprovação em 2008 depois de a fórmula ter sido testada no Laboratório de Pesquisa de Fármacos da Universidade Federal do Amapá, demonstrando que os ratos submetidos ao complexo homeopático apresentaram uma elevação do número de plaquetas de 200.000/ml para 600.000/ml”, explica.
A fórmula também pode ser manipulada em farmácias homeopáticas e tem dosagens diferentes para prevenção e tratamento da dengue. Segundo Marino, para prevenção, devem ser tomadas cinco gotas do remédio, uma vez por semana, durante o período que durar a epidemia. No caso do tratamento, a orientação é que sejam tomadas cinco gotas, quatro vezes ao dia, por 10 dias consecutivos.
Vidros contendo medicamentos homeopáticos
Na homeopatia, substâncias potencializadas e diluídas em água produzem efeito contrário ao dos remédios alopáticos

O tratamento no Brasil

“Milhares de pessoas tomam esse medicamento semanalmente durante todo o período de epidemia há muitos anos. Em 2006, com a criação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), pelo Ministério da Saúde, me senti a vontade pra usar o medicamento no município inteiro de Rio Preto, em São Paulo, com o apoio do secretário de saúde”, relata Marino. Hoje o tratamento não faz mais parte do programa oficial da secretaria do município porque as gestões seguintes alegaram que a terapia preventiva poderia confundir a população e que as pessoas deixariam de prestar atenção aos criadouros do mosquito.
Desde então, outras experiências foram realizadas no país com o medicamento. A cidade de Macaé, no Rio de Janeiro, foi palco da mais significativa ação registrada com a fórmula no país, com a distribuição gratuita de 156 mil doses preventivas do remédio para a população, entre abril e maio de 2007. A incidência da doença no primeiro trimestre de 2008 caiu 93% em comparação com o período correspondente no ano anterior, enquanto no resto do Estado do Rio de Janeiro houve um aumento de 128% dos casos.
Em 2013, em meio a pior epidemia de dengue da história do Estado de Goiás, 25 municípios apostaram no medicamento homeopático para prevenção da doença. Neles, foi registrada uma queda de até 65% nos registros de novas infecções em comparação ao ano anterior. Os resultados da ação, liderada pela Secretaria Estadual de Saúde, levaram outros 75 municípios a aderir à campanha no ano passado.

A polêmica do paracetamol

O tradicional analgésico paracetamol foi a única droga recomendada pelo Ministério da Saúde para tratamento dos sintomas da dengue até 2001, quando, em razão do aumento de graves lesões hepáticas em casos de dengue tratados com o fármaco, decidiu-se por acrescentar também a dipirona como opção.
Para Renan Marino, causa estranheza a indicação hegemônica por tantos anos do paracetamol na dengue mesmo com a ausência de estudos que mostrem a viabilidade e a segurança dessa orientação. “Hoje sabemos que o principal órgão afetado na dengue é o fígado. Logo, é um total contrassenso usar o paracetamol, medicação altamente tóxica para o fígado em casos como estes”, alerta o homeopata.
O médico tem uma opinião contundente a respeito da mortalidade na dengue. Para ele, não procede a teoria segundo a qual os casos graves e hemorrágicos ocorreriam em indivíduos com histórico anterior de dengue por um dos quatro sorotipos conhecidos. “O que faz a diferença na dengue é tão somente tomar ou não tomar paracetamol. Nada mais. Como orientação geral, sugere-se o consumo de grandes quantidades de líquidos para garantir a hidratação, repouso, alimentação leve e tomar apenas dipirona para ajudar no controle da febre e dores”, recomenda.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Symphitum a "cola" da homeopatia




Symphitum na homeopatia é considerado a 'cola" das fraturas ósseas, porque acelera a cura . É também considerado um anti-inflamatório. 
Symphytum Officinale possui afinidade por ossos e tendões. É também conhecido como Comfrey
Principais indicações clínicas do Symphytum
Tratamento de traumas e fraturas de ossos  e  periosteo. É prescrito junto com  Calcarea phosphorica no tratamento de fratura óssea para acelerar a consolidação. Deve ser tomado durante a imobilização. É muito efetivo para tratar a dor durante ou após fratura do osso ou periósteo. É recomendado na periostite de atletas e tendinites do tendão de Achiles. É também prescrito para traumatismos do olho causados por um soco, uma bola de tenis etc... Pode ser usado em combinação com Arnica Montana. Eles são complementares em sua indicação clínica.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

CHICUNGUNYA

O período de incubação do vírus é de quatro a sete dias, e a doença, na maioria dos casos, é autolimitada. Crianças menores de um ano e pessoas com outras doenças associadas apresentam maior risco de complicações.
SINTOMAS
Febre (em geral acima de 39 oC e de início repentino)

Dores intensas nas articulações(principalmente nas mãos, nos pés, tornozelos e punhos);

Dores de cabeça;

Dores musculares;

Manchas vermelhas na pele.

É interessante ressaltar que, diferentemente da dengue, doença viral transmitida pelos mesmos mosquitos vetores, uma parte dos indivíduos infectados pode desenvolver a forma crônica da doença, com a permanência dos sintomas, que podem durar entre seis meses e um ano